A memória afetiva que a casa traz da infância

O dia das crianças está se aproximando e com ele as memórias dos tempos de criança!

O bolo da avó, a mesa bem arrumada da nossa casa, as brincadeiras no pomar, o esconde -esconde entre os primos, as festas de pijama na casa da tia, os Natais e aniversários da família, a pescaria com o avó e muito mais, cada um tem a sua memória.

O desafio nos dias atuais é trazer tudo isso de forma simples e vencer o jogo contra o mundo digital, ou melhor, inclui-lo na brincadeira!

A importância de se pensar um espaço que favoreça a infância, quando se pensa um futuro melhor para a humanidade, é cada vez mais evidente nos dias de hoje. A visão de infância que veio se alicerçando no Brasil e no mundo, se por um lado foi favorecida por sua crescente distinção, por outro foi sendo cada vez mais afastada de sua essência que, outrora anônima, permanecia mais protegida, mas hoje se expõe como possível usuária de serviços e consumos.

A casa e a família são um primeiro núcleo social ao qual a criança deseja pertencer. Tudo o que é feito pelos adultos está dando informações sobre como os seres se comportam no mundo.

Nesse sentido vamos criar ainda mais memórias que mostram o quanto a nossa casa além de linda deve ser essa geradora de histórias e algumas situações simples podem nos trazer as melhores recordações que serão motivos nobres no futuro.

Arrumar a mesa do café, fazer aquele almoço delicioso, ensinar as crianças usarem os talheres pode ser algo divertido, assim como brindar em todas as refeições. Mudar os móveis da sala de lugar, colocar flores no vaso, são simples ações que significam e ressignificam o pertencimento dentro da própria casa.

Feliz dia das crianças e para aquelas que ainda estão dentro de você! 😊

COMPARTILHE ESSE POST

Share on twitter
Share on facebook
Share on google

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *